Escoteiros

A+ = A-

ESCOTEIROS

 

O Escotismo é um movimento voluntariado que tem o intuito de empoderar o jovem, por meio de um sistema de valoresque prioriza a Honra baseado na Promessa Escoteira e na Lei Escoteira, e através da prática, do trabalho em equipe e da vida ao ar livre, fazer com que o jovem assuma seu próprio crescimento e tornar-se um exemplo de fraternidade, lealdade, altruísmo, responsabilidade, respeito e disciplina.

 

Saiba um pouco mais, desta linda Instituição:

 

O Escotismo e a Maçonaria

 

A Maçonaria é uma Ordem Universal constituída por homens de todas as raças e nacionalidades, acolhidos por iniciação e congregados em Lojas onde estudam e trabalham para o aperfeiçoamento da Humanidade. O Amor Fraternal é seu fundamento e espera que, com amor a Deus, à pátria, à família e ao próximo, com tolerância, com sabedoria, livre investigação da Verdade, com a evolução do conhecimento humano pela filosofia, ciências e artes, observando os princípios de Liberdade, Igualdade e Fraternidade e obedecendo a Moral, a Razão e a Justiça, o mundo evolua para melhor e a paz universal seja alcançada.

 

Sob a bandeira da paz os maçons apoiaram importantes organizações esportivas, pacifistas ou de serviços a fim de aproximar os países e unir o mundo inteiro.

 

Assim a Maçonaria criou escolas e fundou clubes como o Lions e o Rotary, bem como a Ordem DeMolay, as Filhas de Jó e o Escotismo, depôs tiranos do governo, lutou pela liberdade humana, tornou independentes muitos países e libertou povos inteiros da escravidão.

 

A investigação da verdade é o objetivo da maçonaria bem como o comportamento moral e a prática da solidariedade. Também são esteios fundamentais da maçonaria o crescimento moral e material, o aperfeiçoamento intelectual e social da humanidade; dar exemplo a todos os homens mostrando os laços fraternais que unem os Maçons do universo e lutar incessantemente contra qualquer forma de ignorância. Seu programa é viver honradamente; obedecer às leis do país; praticar a justiça; amar os seus semelhantes; trabalhar incessantemente para o bem estar da humanidade através da emancipação dos povos por meios pacíficos.

 

Em resumo: a Maçonaria é uma instituição que tem por objetivo tornar feliz a humanidade, pelo amor, pelo aperfeiçoamento dos costumes, pela tolerância, pela igualdade e pelo respeito à autoridade e à religião.

 

A relação do escotismo com a maçonaria é estreita e segundo o escritor francês Roger Peyrefitte “os escoteiros surgiram da maçonaria, Baden-Powell sonhou fazer a convivência harmoniosa entre os filhos de duques e filhos de empregados”.

 

Sob esta afirmação retornaremos no tempo para ver como isso aconteceu.

 

Um dos principais impulsores do escotismo foi o Rei da Inglaterra, Eduardo VII, o mesmo foi iniciado na Maçonaria de Estolcomo pelo Rei da Suécia, Carlos XV, em 1868. Na Inglaterra, atuou como Venerável na Loja “Príncipe de Gales” nº 259, onde iniciou a seu irmão, o Duque deConnaught, Príncipe Arthur.

 

Dentro da família real britânica, Príncipe Arthur foi quem mais influenciou na personalidade do fundador do escotismo. Este príncipe era o terceiro filho da Rainha Victória e conheceu Baden-Powell em 1883 na Índia, onde praticaram juntos a caça ao javali com lança.

 

Em 1906, o Príncipe Arthur era inspetor Geral do Exército inglês e nomeou B-P como Inspetor Geral da Cavalaria na África do Sul. A amizade de ambos aumentou depois da criação do Movimento Escoteiro, B-P nomeia em 1913 o Príncipe como Presidente da Associação Escoteira da Grã-Bretanha.

 

O primeiro filho de B-P levou o nome de Arthur, em nome da amizade que BP tinha com o príncipe. Supõe-se que foi o Príncipe Arthur quem iniciou Baden-Powell nos mistérios da Irmandade maçônica, já que ele era Grão Mestre da Grande Loja Unida da Inglaterra. Como já citamos o Príncipe Arthur foi iniciado em 1874 na Loja “Príncipe de Gales” nº 259 e em 1886 foi eleito Grão Mestre provincial de Sussez.

 

O fato do Presidente dos escoteiros da Inglaterra ser, ao mesmo tempo, Grão Mestre dos Maçons daquele país nos parece de real importância.

 

O Rei Jorge VI, por sua parte, foi iniciado na Maçonaria em dezembro de 1919. Após quatro anos ocupou o cargo de Venerável Mestre. Em 1925 o Príncipe Arthur o designa “Grão Primeiro Vigilante” da Loja Unida da Inglaterra. A estreita relação de B-P com o Rei Jorge VI lhe rendeu a condecoração da Ordem do Mérito, em 1937.

 

Outro Maçom importante na vida de Baden-Powell foi Rudyard Kipling. B-P conheceu Kipling na África do Sul, em 1906. Dois anos mais tarde, quando B-P escreveu “Escotismo para Rapazes” dedicou parte do livro ao personagem de Kipling conhecido como “Kim”. Kimbal O’Hara era um jovem órfão que vivia na Índia e que era filho de um maçom inglês, segundo o primeiro capítulo da obra de Kipling.

 

Em 1914, B-P decidiu utilizar o livro de Kipling “Jungle Books” (O livro da selva) para modelar uma nova mística inspirada em Mowgli surgindo então uma unidade para os irmãos menores dos escoteiros. B-P pediu autorização para Kipling dizendo que este “era um bom amigo do escotismo desde seus primórdios, autor da canção oficial dos escoteiros e pai de um escoteiro”.

 

A participação de Kipling na Maçonaria era tal que escreveu até poemas em homenagem a sua loja, onde podemos ler:

 

“Viajando a serviço,

 

Eu levava as saudações fraternais

 

As lojas ao oriente e ao ocidente de Lahore,

 

Conforme fosse a Kohart ou Singapura.

 

Mas sempre voltava para rever meus irmãos.

 

Os da minha Loja mãe.”

 

Chamar as crianças da nova unidade de “lobinhos” parece familiar uma vez que este nome é semelhante ao nome que os maçons dão às crianças “adotadas” pela Irmandade.

 

Segundo Clavel, esta designação é muito antiga e revela que no antigo Egito os iniciados de Isis recebiam o nome de “chacais” ou “lobos” e colocavam uma máscara com a efígie de um lobo dourado.

 

Ao lermos “O Livro das Terras Virgens”, será fácil encontrar o paralelismo entre a ideologia maçônica e a “roca do conselho” com sua denominação de “Povo Livre” que dá a matilha de lobos, considerando que o termo inglês “Free-mason” significa “construtor livre” e a primeira condição para todo maçom é que este seja “livre e de bons costumes”. Kipling foi iniciado na loja “Esperança e Perseverança” Nº 782 de Lahore, Punjab (Índia) e em seu retorno a Inglaterra trabalhou na “Loja-Mãe Nº 3861″ de Londres.

 

Todas estas pessoas, de forte influência sobre B-P pertenciam a Ordem Maçônica.

 

Como se não bastasse o irmão mais novo de B-P, David, e o neto David Michael Baden-Powell foi iniciado na loja Baden-Powell Nº 488, de Vitória, Austrália, onde foi Venerável Mestre. Muitos de seus amigos e inspiradores também eram maçons inclusive Lorde Somers, seu sucessor como Escoteiro-Chefe em 1941.

 

Oficialmente B-P era Cavaleiro da Graça de São João de Jerusalém, uma ordem do tempo das Cruzadas, destinada à caridade e com raízes maçônicas documentadas. A inspiração maçônica nos rituais do escotismo não há como negar.

 

Em alguns países o impulso na fundação do escotismo esteve dirigido por maçons. Na França, o barão Pierre de Coubertin foi um dos principais gestores dos escoteiros, enquanto nos EUA a criação dos “Boy Scouts of America” ficou a cargo de Daniel Carver Beard. Dois presidentes norte-americanos colaboraram ativamente com a obra de Baden-Powell, Theodore Roosevelt (iniciado na Loja “Matinecock Nº 806″, de Oyster Bay, Nova York), nomeado vice-presidente honorário dos “Boy Scouts of América” ao ser fundada a instituição. O outro presidente que lutou pela causa escoteira foi William Taft (iniciado em 1909 na cidade de Cincinnati,Ohio), que se encontrou com B-P em 1912, prometendo-lhe total apoio na difusão da organização nos Estados Unidos.

 

O mesmo aconteceu no Canadá, na Bélgica e em muitos outros países, inclusive no Brasil, onde renomados maçons assumiram a bandeira do escotismo.

 

Muitos são os pontos em comum entre o escotismo e a Maçonaria deixando clara a relação entre as duas instituições. Vejamos alguns exemplos que me são dados revelar:

 

A promessa escoteira é uma iniciação do aspirante (profano) em noviço (aprendiz).

 

Uso continuado e reiterado do número 3.

 

No escotismo existem três princípios, enquanto na maçonaria se fala das três luzes. Os escoteiros basicamente têm três graus de adestramento (Noviço, Segunda e Primeira Classe), enquanto que na maçonaria existem os três graus simbólicos: aprendiz, companheiro e mestre.

 

Os escoteiros se identificam por um lema (palavra), por um sinal (saudação) e por um toque (os escoteiros e os maçons apertam a mão de uma maneira especial e simbólica).

 

É significativo o uso do termo “lobinhos” e toda mística inspirada no livro de conteúdo maçônico, em especial a passagem para escoteiro.

 

A ajuda ao próximo é um ponto fundamental em ambas instituições.

 

Utiliza-se o termo “Irmão Escoteiro” ou “Irmão Maçom”, dando a entender a existência de uma Irmandade Universal.

 

A cadeia da fraternidade (círculo com as mãos entrelaçadas) existe nas duas organizações em alguns momentos místicos.

 

A Lei do Escoteiro representando os “Landmarks” da maçonaria.

 

A Flor de Lis, com três pétalas que se erguem significando as três partes da Promessa Escoteira: Deus, Pátria e Próximo, cujo significado na Maçonaria representaria as três luzes.

 

O anel circundante no centro da Flor de Lis representa a união de todos os escoteiros. Representando o nível para os maçons. E no centro e na vertical o prumo, a agulha da bússola, no centro e abaixo do listel do lema está um nó que para o escoteiro representa a Boa Ação e para os maçons pode ser visto ornamentando o templo.

 

No santo padroeiro dos Escoteiros, São Jorge, vemos o bem atacando constantemente os vícios e defendendo as virtudes, como a doutrina maçônica prega.

 

O método escoteiro conhecido como aprender fazendo está representado em um dos princípios da maçonaria, o auto-crescimento.

 

A consciência maçônica é representada chamando-se espírito escoteiro.

 

O Movimento Escoteiro não é ligado a nenhuma religião, assim também a Maçonaria. O Escotismo orienta os jovens na busca da religiosidade. No Escotismo cada membro pode ter seus princípios espirituais, vive e busca a religião que os expresse e respeita as demais. Desta forma Católicos, Evangélicos, Judeus, protestantes de diversas denominações e de diversos outros credos podem estar lado-a-lado. Durante as reuniões escoteiras os jovens são incentivados a buscar o seu Deus e praticar as atividades de sua igreja. Esta prática também a Maçonaria adota, exemplo disso é a Loja Cidade de Gravataí onde podemos encontrar maçons de sete religiões diferentes convivendo com respeito e harmonia.

 

A Maçonaria utiliza diversas passagens bíblicas em seus rituais, o que também inspirou a criação das Leis Escoteiras, semelhantes em finalidade aos “Landmarks” maçônicos. Vejamos a inspiração de uma a uma das leis escoteiras:

 

Disse Jesus : “Seja o seu falar, sim , sim e não, ou não”, esta passagem inspirou a primeira lei escoteira:

 

1 –O Escoteiro tem uma só palavra, sua honra vale mais que sua própria vida.

 

As palavras de Paulo Apóstolo formam:“Em tudo te dá pôr exemplo de boas obras, na vida mostra lealdade “.

 

2- O Escoteiro é leal.

 

“Aquele, pois que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado” (Tiago)

 

3- O Escoteiro está sempre alerta para ajudar o próximo e pratica diariamente uma boa ação.

 

“Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos”, Salmo 133.

 

4- O Escoteiro é amigo de todos e irmãos dos demais Escoteiros.

 

“Mas agora despojai-vos da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca”.

 

5- O Escoteiro é cortês.

 

“No princípio criou Deus os céus e a terra … E viu Deus que era bom”.

 

6- O Escoteiro é bom para os animais e as plantas, pois tudo é criação de Deus.

 

“Honra a teu pai e tua mãe”.

 

7- O Escoteiro é obediente e disciplinado.

 

Segundo Paulo Apóstolo:”Tudo posso naquele que me fortalece”.

 

8- O Escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades.

 

“Não furtarás, diz o mandamento de Deus”.

 

9- O Escoteiro é econômico e respeita o bem alheio.

 

E assim falou o apóstolo Paulo:“O vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós proveniente de Deus”.

 

10- O Escoteiro é limpo de corpo e alma.

 

Desta forma fica muito clara a influência extraordinária da maçonaria na criação do escotismo, o que é uma honra para nós maçons.

 

Meus Irmãos e convidados, hoje temos a humanidade miserável, sufocada pela ignorância, corrompida pelo vício e oprimida pelo crime, depravada por paixões vis e cheia de corações covardes. É neste mundo que está a Maçonaria como uma instituição de pessoas honestas, sem superstições, lutando a favor da liberdade e da solidariedade, buscando a verdade e repudiando o mal.

 

Sendo o Maçom um agente de reformas e de progresso é mister que nossas Lojas, como determina o Ato 031 de 2003, do Sereníssimo Grão Mestre, aproveitem instituições já consagradas, tal como o escotismo, oferecendo apoio à educação infanto-juvenil, pois esta educação fará a diferença na plena e concreta valorização da Dignidade da Pessoa Humana e da Cidadania.

 

Uma vez mais lembro Baden-Powell que, em 1922, em Paris, em um Congresso de Chefes Escoteiros, disse: “O Movimento Escoteiro representa uma união mundial de socorro fraternal, uma associação universal de amizade que não tem fronteiras. Educados na compreensão e que as nações são irmãs, de que formam parte de uma grande família humana cujos membros devem ajudar-se e compreender-se mutuamente, os jovens cidadãos e cidadãs de todas as nações cessarão de olhar-se como rivais e não alimentarão mais que pensamentos de amizade e de estima mútuas”.

 

Fonte: O Escotismo e a Maçonaria – Honorio Sampaio