Confira a nota de repúdio conjunta feita pela GLESP e o GOSP

A+ = A-

Confira a nota de repúdio conjunta feita pela GLESP e o GOSP

Tendo em vista as crescentes incursões de anúncios “oferecendo a Maçonaria” em diferentes meios de comunicação, como a Revista Veja do dia 18 de outubro de 2017, a Grande Loja Maçônica do Estado de São Paulo (GLESP) e o Grande Oriente de São Paulo (GOSP), ambas potências maçônicas reconhecidas internacionalmente, vêm a público esclarecer que instituições maçônicas regulares e reconhecidas mundialmente não arregimentam membros por anúncios e não fazem propaganda.

É com pesar que assistimos maçonarias espúrias como essa, que veicula anúncios em revistas, jornais, outdoors e internet com a intenção de arregimentar membros, mancharem a imagem da instituição comercializando uma Ordem que existe há 300 anos no mundo. Cabe ressaltar que os métodos para aceitação de novos membros na Maçonaria Regular, aquela que é reconhecida pela Grande Loja Unida da Inglaterra (GLUI) e em todo o mundo, é apenas por indicação.

A Maçonaria não é um produto a ser vendido, muito menos um meio para enriquecimento destes que a oferecem de maneira tão desprezível. Para se tornar um Maçom, é necessário ser indicado por um membro regular e ativo, passando por um processo de aceitação que, antes de ser um acúmulo de taxas a serem pagas, existe para que a Ordem possa contar em suas fileiras com verdadeiros Irmãos, norteados pelos mesmos bens comuns de liberdade, igualdade e fraternidade.

A Maçonaria é alicerçada em princípios éticos e morais, contribuindo para que seus membros sejam verdadeiros construtores sociais, não vendedores de títulos que não passam de palavras vazias de ações. Essas entidades espúrias que se intitulam maçônicas usurpam a imagem da Maçonaria Regular, que repudia esses atos.